Dia Internacional do Voluntariado: 10 histórias para te inspirar

O Dia Internacional do Voluntariado é comemorado em 5 de dezembro. E, como o ano está chegando ao fim, nada melhor do que relembrar como o espírito de solidariedade está espalhado pelo mundo. Selecionamos dez histórias que servem de inspiração para um 2020 cheio de ações de voluntárias!

Dá uma olhada!

Solidário desde pequeno - garoto doa dinheiro de férias na Disney a vítimas de furacão

Quando se fala que solidariedade não tem idade, o pequeno Jermaine Bell, de 6 anos, está aí para provar. Sonhando em ir à Disney, o garoto guardava cada centavo que recebia de parentes. Os cem dólares que juntou ao longo de dois anos, claro, não eram suficientes, mas alimentavam a esperança de conhecer o Mickey. Porém, quando o furacão Dorian passou pelo sul dos Estados Unidos, deixou muita gente desabrigada. Jermaine não pensou duas vezes: quebrou o cofrinho e comprou água e cachorro-quente e os distribuiu a quem passava pela porta de sua casa, que não havia sido prejudicada. A ação ajudou a aliviar o desespero e chamou a atenção do parque. Aos sete anos, o mini-herói e sua família ganharam uma viagem de graça à Disney! Vale ou não a pena ser solidário?

Problemas para subir montanhas? Voluntários ajudam! 

Imagina ter o sonho de escalar um monte, fazendo uma trilha que passa por paisagens maravilhosas, mas, por uma questão física, não poder. Aí aparecem pessoas dispostas a ajudar e realizam esse desejo. Pois foi o que aconteceu com a australiana Janelle Boston, de 55 anos. Desde criança, ela sonhava subir o monte Tyson, no estado de Queensland, porém, por ter esclerose múltipla, achava que não poderia. Então, um grupo de trinta pessoas a colocou em uma cadeira adaptada e a carregou até o topo do mundo - e do sonho realizado!

Despedida de solteira se transforma em ação humanitária

Elas estavam prontas para só curtir uma praia paradisíaca no Caribe, mas, viram que podiam ser mais felizes ajudando os outros. Foi esse o roteiro da despedida de solteira da norte-americana Rikki Kahley, de 24 anos. A festa estava marcada, mas um furacão passou pelas Bahamas pouco antes do encontro de amigas. Isto, no entanto, não as impediu de visitar a ilha. À alegria pelo futuro casamento, somaram solidariedade, levando quarenta malas com roupas e mantimentos para as pessoas mais atingidas pelo fenômeno. A ação viralizou, a companhia aérea entrou na campanha e não cobrou para despachar a bagagem. Dezenas de pessoas foram beneficiadas. Há presente de casamento melhor do que tantos sorrisos? Veja aqui algumas fotos dos itens doados, no Facebook da mãe da noiva. 

Ele jogou garrafas PET no mar. E arrasou!

Esta foi em Camarões. Cansado de ver a quantidade de garrafas PET jogadas no lixo em sua comunidade, ao mesmo tempo em que muitos moradores gostariam de ter um barco para pescar, Ismaël Essome Ebone começou a juntar os plásticos e conseguiu montar uma canoa. Para supresa geral, a novidade navegou bem e pode ser usada não só para pesca, mas para atividades de turismo. Que ótima ideia! Conheça o trabalho dele melhor no Linkedin e no Facebook

O que era lixo vira música, no Rio de Janeiro

São mesmo várias as boas ideias que envolvem a reciclagem. Uma escola pública carioca, por exemplo, criou um programa para transformar restos de madeira, plásticos e borracha em instrumentos musicais, usados pelos alunos da Escola Municipal Orsina da Fonseca e de outras unidades. A “Orquestra Verde” utiliza os criativos tubucello (violoncelo), claricano (clarinete), tuboflauta (flauta transversa) e chinelofone para tocar diversos hits. O lixo vira arte!

É conversando que se entende - ONG media conflitos na África e na Ásia

Para que brigar se podemos resolver nossas diferenças conversando? Voluntários da ONG World Relief aplicam há anos essa máxima para evitar conflitos em alguns países da África e da Ásia. A entidade treina voluntários locais e estrangeiros em técnicas de mediação de conflitos e os coloca em ação em comunidades marcadas por brigas relacionadas a uso de terra e água, por exemplo. Segundo a World Relief, mais de trezentas mil pessoas foram envolvidas nessas mediações este ano. “Cada conflito que um voluntário reduz é mais uma relação reparada, mais uma colheita produzida e mais famílias que não precisam fugir por temer por suas vidas”, afirma o CEO da ONG, Tim Breene. Clique aqui para doar. 

Com ajuda de alunas, porteiro de escola passa no vestibular

Muita força de vontade e uma ajudinha de amigas são alguns ingredientes da receita de um porteiro de escola para passar no vestibular depois de quase vinte anos sem frequentar as salas de aula. Ozeilto Barbosa de Oliveira trabalhava há oito anos na portaria de um colégio particular de Vitória (ES) e, com incentivo da direção, retomou os estudos. Terminado o Ensino Médio, decidiu prestar vestibular para Enfermagem, um antigo sonho. A pesada carga de estudo foi aliviada pela força de algumas alunas da instituição, que, nos intervalos, ajudavam com material escolar, tirando dúvidas e, principalmente, incentivando o funcionário, que virou um amigo (e estudante de enfermagem)!

Homem constrói casas para animais de rua

Cansado de ver cachorros passando frio em sua cidade, Cachoerinha (RS), o eletricista Felipe Meirelles decidiu tomar uma atitude. Com materiais doados, construiu casas para animais abandonados e de rua. Desde que começou a tarefa, foram mais de trezentos abrigos, feitos de madeira e telha. As unidades são doadas a instituições de cuidados animais ou colocadas em locais onde os bichos vivem. Quer ajudar? Entre em contato com ele pela página do Facebook

Ele criou a 'Vitilinda' e mostrou a beleza de uma condição

O vitiligo é uma condição que, apesar de não causar grandes problemas à saúde, traz consequências à imagem de quem a possui, devido ao preconceito. Pensando em mostrar à neta que as manchas na pele do avô eram uma característica como qualquer outra, João Stanganelli, de Bragança Paulista, criou a Vitilinda, uma boneca de crochê com as características de quem tem essa condição, que afeta de 1% a 2% da população mundial. As bonecas fizeram sucesso com a menina e com o público em geral. Tanto que se tornou um trabalho de João, que tem recebido diversas encomendas. Legal, né? Veja algumas fotos aqui

Tampinhas plásticas viram cadeiras de rodas

Sabe aquelas tampas de garrafa PET que vão direto para o lixo? Pois bem, elas podem virar cadeiras de rodas, doadas a quem precisa e não tem recursos para comprar. O projeto Rodando com Tampinhas, do Rio de Janeiro, coleta até três toneladas de plásticos por semana, que são vendidos a usinas de reciclagem. Os recursos são, então, revertidos para a compra de cadeiras de rodas, doadas à Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação (ABBR), uma instituiçã famosa na capital fluminense. Só até outubro, pessoas com necessidades especiais receberam 105 cadeiras, que ajudaram a reduzir o tempo de espera por esse objeto tão precioso.